Veneno “o mundo ou nada”

Rapper Veneno, de Setúbal (Portugal), regressa com PREGO A FUNDO!

Após terminar a saga ‘Na Corda Bamba’, EP que deu vida a 4 temas todos eles com videoclip, o Rapper Setubalense decidiu desafiar-se a si mesmo voltando num registo em que nunca o ouvimos antes, Drill!

O tema conta com a produção de Nobre Beats, conceituado produtor brasileiro. A mistura e masterização ficaram a cargo de Zardo, nos estudios ZLAB & V2NMUSIC.
O videoclip conta igualmente com a assinatura da ZLAB Audiovisuais.

Veneno, Rapper e empreendedor nascido em Setúbal (Bela Vista), fundou a V2NMUSIC em meados de 2015 no intuito de estruturar a sua própria equipa e singrar numa industria que se torna cada vez mais competitiva. No videoclip, vemos presentes os mais recentes artistas assinados pela V2N, SINA e Bexona, ambos eles com projetos igualmente em curso, a serem lançados ainda este ano.

“Finalmente senti ter a equipa que necessitva comigo para me dedicar seriamente ao Rap, já não nos falta nada. Despedi-me do meu trabalho para me dedicar exclusivamente á V2NMUSIC e aos negócios que criei em paralelo” adianta Veneno. Agora é trabalhar muito e não perder o ritmo, O Mundo ou Nada!

O que te levou a começar a fazer músicas?
Problemas & desabafos, creio que é igual para quase todos os que estão ligados a esta arte.

O que achas do mundo da música na Lusofonia?
Eu acho que a musica na lusofonia, em especial o Rap (entenda-se por isso todos os sub-generos) estão a passar uma das suas melhores fases. O Trap então… Hoje em dia é moda, ouves em reclames de grandes marcas na TV, são os temas com mais stream, voltarama liderar bandas sonoras de filmes, as proprias editoras com maior expressão em Portugal passaram a assinar o dobro ou triplo dos artistas nesta vertente face ao ano anterior. Isso são indicadores de muita coisa que se avizinha…

Um Feat com o teu artista Lusofono favorito, com quem seria?
NGA, sem margem de dúvidas.

Consideras os beefs entre MCS, na base da música , saudável ou só procuram clout?
É perfeitamente saudável quando moderada. Repara, a musica não deixa de ser uma industria que movimenta muitos milhões e, tal como todas as outras, a competição será sempre necessária uma vez que é dela que advém a evolução. Seja o beef no mainstream ou underground, a polémica vai sempre favorecer uma parte e obrigar a outra a re-inventar-se!

Queres fazer apenas hip-hop ou gostava de explorar outros horizontes?
Eu quero fazer música, da forma que a sentir e como me apetecer. Atualmente não posso dizer que tenha um estilo que me defina. Posso fazer um Drill, ou reduzir o BPM e fazer uma balada, ou subir e fazer um afrotrap. É conforme o estado de espirito.

Como tem sido lidar com o Covid19?
Não te posso dizer que me afetou, fizemos uma mini-tour com o EP Na Corda Bamba, depois parámos. Nessa altura não havia COVID. Se o Covid não tivesse existido, estariamos exatamente no mesmo sitio porque não trabalhamos desde então. Creio que isso potenciou os artistas mais assiduos nas plataformas de stream, contudo, deu para perceber o impacto que a lidação direta com as pessoas pode ter na carreira de um artista, olhando para artistas com carreiras sólidas

Já tomaste alguma decisão de que te arrependas?
Se me arrependi de alguma, aprendi com ela.

Como lidas com as críticas?
Depende das críticas e de quem venha. Se vierem de pessoas que fizeram certo o que estou a fazer errado, além de agradecer peço conselhos para melhorar. Se vierem de pessoas que também nunca provaram nada, desconsidero, obrigado pelo dislike, pela view e ‘À la prochaine’.

Aceitarias trabalhar em outra área que não fosse música, se tivesses no topo e um dia caísses ?

Nunca! Se por ventura chegar ao topo, é porque trabalhei ou evolui o suficiente para la chegar. Se cair, é uma questão de analisar todos os fatores que motivaram essa queda, corrigir e voltar a impulsionar os resultados. Sem objetivos me definidos não dá para solidificar uma carreira para a oferta do mercado que temos hoje, que é muita.

Onde te vês daqui a 5 anos ?
Independentemente do desenrolar da pandemia, vejo-me com a mesma equipa de hoje e com resultados suficientemente sustentaveis de forma a garantir o sucesso da V2NMUSIC. Quero quebrar algum recorde até la pessoalmente, qual, não sei.

Projetos futuros?

O meu álbum, o EP do Sina e o EP do Bexona. Regresso do ZPK, esse é o projeto que mais ansiedade me dá. Existem duas editoras com propostas á espera que ele regresse de onde está, os rapazes dele (Firma Danger), também estão na back, vai ser estoiro absoluto!

Uma palavra, para os teus apoiantes..
Sei que são poucos mas bons e fiéis. Vocês sabem, O MUNDO OU NADA

Maís posts
Ronaldo tornou-se o maior goleador da história